Quinta, 27 Nov 2014
You are here:
África é homenageada no espetáculo Raízes
Tribo das Artes reúne diversas danças em um mesmo palco para mostrar a grandeza do continente negro


Dias 3, 4 e 5 de julho
Sala Martins Penna, Teatro Nacional, 20h
ingressos: R$ 30 (inteira) ou R$ 15 (meia), classificação livre

Diversas modalidades de dança no mesmo palco. A África é representada desde o Egito e a dança do ventre ao samba e a influência do negro na cultura ocidental, e até mesmo Michael Jackson, que será homenageado pela divulgação da cultura negra. A história do pássaro Sankofa abre o espetáculo. Sankofa é uma ave que tem o peito virado para frente e a cabeça para trás e, segundo a tradição, representa a necessidade de continuar a caminhada, apesar do passado de sofrimentos. É esse lema que conduz e inspira o espetáculo Raízes.

Aquela África sofrida das fotografias todos conhecem. A proposta do Raízes é mostrar um continente cheio de tradições, danças, arte e alegrias. A celebração da morte é mostrada como momento de libertação, não de sofrimento. "É uma espécie de micareta. Todo mundo sai à rua e festeja", diz a historiadora Barbara de Velasco, consultora histórica do espetáculo. Tambores, hip hop, sapateado e capoeira também fazem parte das apresentações. A diretora da Tribo das Artes Juliana Castro enfatiza a pesquisa para a construção da história. "Em mais de um ano de estudos descobrimos muitas coisas interessantes. Como o respeito dos africanos pelos mais velhos. Por isso, a narrativa é feita pelo velho sábio, o Griot". Completando o trabalho, os cenários foram feitos pelo artista plástico Albano Dias, inspirados em figuras de diversas tradições africanas.